Destaques

Título António Guterres, Agenzia Habeshia e Fundação Calouste Gulbenkian em destaque no Terra Justa
Imagem_978_0001
Data de Publicação 2016-04-02 00:00:00 +0100
Sub-título Dezenas de personalidades nacionais e internacionais abordam a questão dos refugiados e direitos humanos
Descrição

De 5 a 9 de Abril, Fafe será a capital das causas e valores da humanidade.

Durante 5 dias, conferências, tertúlias de café com convidados nacionais e internacionais, exposições de rua, teatro de rua, debates, música, arte pública e muitas outras atividades pretendem levar as pessoas a refletir sobre causas e valores da humanidade, tendo os refugiados como pano de fundo.

Nesta segunda edição, dezenas de convidados nacionais e internacionais e diversas Organizações Não Governamentais (ONG´S) vão debater, entre outros assuntos, em Fafe, a questão dos refugiados, as origens e consequências desta crise humanitária para a Europa e para o Mundo.

António Guterres vai conversar com as pessoas, em diversos momentos na cidade, e ser homenageado no II Encontro Internacional – Terra Justa, em Fafe.

António Guterres, que poderá vir a ser o próximo secretário-geral das Nações Unidas (ONU), juntamente com Frei Mussie Zerai, da Agenzia Habeshia, que foi indicado para prémio nobel da paz por salvar milhares de refugiados, a par com a Fundação Calouste Gulbenkian são os homenageados desta edição.

Além da questão dos refugiados, vão ser ainda abordados temas como os direitos humanos em cenários de conflito, num tributo às enfermeiras paraquedistas portuguesas, o valor da cultura e questões relacionadas com a religião.

Estarão ainda presentes e a partilhar experiências dois convidados internacionais.

Mussie Zerai, um Padre com cerca de 40 anos para quem ligam muitos refugiados em aflição. Mussie Zerai. Ao atender o telefone, já salvou a vida a milhares de refugiados. Foi indicado para prémio nobel da Paz em 2015.

Tareke Brhane, partiu da Eritreia, um dos países mais pobres do mundo, com uma ditadura conhecida por violar permanentemente os direitos humanos. Só ao fim de 5 anos, conseguiu chegar à Europa. Hoje, com pouco mais de 30 anos, é ativista pelos direitos humanos, colaborou como tradutor com os Médicos Sem Fronteiras ou a organização Save the Children, na Sícilia e em Lampedusa. 

Para falar destes e de outros temas, ligados às causas e aos valores da humanidade, estão convidadas individualidades nacionais como António Guterres, Eugénio da Fonseca, Maria Teresa Tito de Morais, Carvalho da Silva, Luísa Maia Gonçalves, Graça Morais, Maria Rueff, Frei Bento Domingues, Artur Santos Silva, Isabel Soares, Padre Villas Boas, Rosa Serra, Joaquim Letria, o anterior Chefe do Estado Maior - General das Forças Armadas de Portugal, General Luís Araújo, Padre Anselmo Borges, Professor Eduardo Lourenço, Paulo Mendes Pinto e Frei Fernando Ventura, entre muito outros. De destacar as personalidades internacionais Mussie Zerai, Tareke Brhane e Miguel García-Baró-Lopez, entre outros.

As causas entre as pessoas… arte de rua, exposições, teatro…

O centro da cidade de Fafe vai ganhar vida com o teatro de rua e com uma exposição permanente que levará as pessoas a passarem por portas instaladas na rua, onde são confrontadas com factos, dados e histórias, e ainda convidadas a fazer a travessia por um túnel, cujo objetivo é ver “luz ao fundo do túnel”, depois de conhecerem histórias de pessoas como nós.

No Arquivo Municipal, em Fafe, vão estar patentes exposições dedicadas a António Guterres, Agenzia Habeshia, Fundação Calouste Gulbenkian e às enfermeiras paraquedistas portuguesas.

Mural das Causas…

Em plena cidade, o monumento, feito a partir de um bloco de granito desenhado pelos arquitetos da Câmara Municipal de Fafe, vai continuar a guardar, durante 25 anos, as mensagens de grandes individualidades que passaram por Fafe, no âmbito do “Terra Justa”. 

Recorde-se que já se encontram no mural as mensagens do Cardeal Óscar Maradiaga, ex-Presidente da Cáritas Internacional e braço direito do Papa Francisco para a reforma da Igreja, Maria de Jesus Barroso Soares, da Fundação Pro-Dignitate, e das ONG´s Amnistia Internacional e Médicos do Mundo. A ideia é perceber, em 2041, como era o mundo, as ideias e a visão da sociedade, nomeadamente ao nível dos valores humanos e das grandes causas globais.

Documentos
Imagens
Powered by: TextoVirtual.com